A Bethesda anunciou grandes mudanças para o Fallout 76 durante a conferência E3 2019 da empresa, e apesar do terrível lançamento e quase irrelevância do jogo desde então, parece que haverá razões para dar outra chance assim que a expansão Wastelanders chegar. O lançamento de Fallout 76 foi afetado por uma mistura de problemas técnicos e as expectativas dos jogadores não sendo atendidas, com o último sendo mais difícil de recuperar. Após seu lançamento, o sentimento dos fãs da franquia era de que Fallout 76 havia perdido tudo o que fazia a franquia um grande sucesso.

A expansão de Fallout 76, Wastelanders, vai mudar isso. Wastelanders irá adicionar NPCs humanos no jogo, com os quais os jogadores podem interagir, ter árvores de diálogo e conhecer. Os NPCs estarão no centro de uma nova grande questline, projetada para fluir como uma tradicional árvore de quests de Fallout, com conversas e opções que deixarão o jogador com dilemas morais. Essencialmente, os jogadores finalmente terão a chance de construir relacionamentos significativos com personagens que não são controlados por humanos, algo que sempre foi uma das características mais marcantes da franquia Fallout.

Wastelanders vai salvar Fallout 76? É impossível dizer. O jogo base ainda está repleto dos mesmos problemas que tinha quando foi lançado, incluindo os polêmicos preços nas microtransações. Combinar conteúdo tradicional no estilo Fallout com uma experiência online mais suave, no entanto, é pelo menos uma receita para evitar um desastre, algo que a Bethesda vem tentando fazer desde o início. Bugs infinitos, crashes, conteúdo pobre, microtransações, falsas promessas que acabaram com as expectativas dos fãs e incluíam até uma bolsa da edição de colecionador, que mostrou ser de qualidade horrorosa.

No entanto, Wastelanders dá ao jogo algo que estava faltando desde o início: alma. Um dos pontos mais criticados de Fallout 76 é que o jogo entrega um mapa enorme, com um grande potencial, mas que soa morto pela falta de interação. Havia poucos NPCs e até menos tópicos de enredo significativos. Mesmo que a ideia fosse que os jogadores construíssem sua própria história através do jogo online, o Fallout 76 tem tamanhos de servidor extremamente pequenos, o que significa que os jogadores às vezes nem encontram um ao outro para interagir durante uma sessão de jogo. Uma solução fácil para esse sentimento de vazio é a adição de NPCs, que apimentam a paisagem com personalidades e histórias distintas, dando aos jogadores associações emocionais e mentais com partes específicas do mapa, que ajudam a formar boas lembranças deles.

Naturalmente, o anúncio de um modo Battle Royale também ajuda a chamar a atenção, já que a empresa tenta se juntar ao que rapidamente se tornou um dos gêneros mais lucrativos em jogos. No entanto, esse pode não ser exatamente o público de Fallout. A nova expansão pode salvar Fallout 76 simplesmente tornando-o mais parecido com um jogo da franquia Fallout. Há uma lição a ser aprendida aqui. Existem jogos com membros da comunidade extremamente apaixonados e dedicados, mas que têm expectativas menores de mecanismo de jogo – como NPCs interativos e uma história real, por exemplo. Ambas as abordagens têm um lugar no mercado e, no caso do Fallout 76, a Bethesda claramente fez a opção errada, deixando para depois o principal elemento de seu sucesso.

x